previdência privada

Previdência Privada — Como Construir Uma e Garantir o seu Futuro!

Pensando no bem-estar durante a terceira idade, muitas pessoas optam em investir em uma previdência privada, ao invés de depender apenas do setor público. Afinal, com as regras e reformas, é difícil ter algum tipo de previsão mais segura sobre os retornos do INSS, principalmente para quem ainda está relativamente longe de se aposentar.

Mas, considerando que o sistema previdenciário do governo ainda é muito enraizado na sociedade brasileira, poucas pessoas sabem como funciona essa modalidade de investimento. Continue lendo para descobrir!

Como garantir seu futuro com a previdência privada?

A previdência privada nada mais é do que um investimento a longo prazo que tem como objetivo assegurar sua estabilidade financeira durante a terceira idade — ou a partir do momento em que você decidir se aposentar. 

Ou seja: é uma garantia de que será possível manter uma qualidade de vida sem precisar trabalhar e sem depender do governo federal. 

Isso é extremamente importante, considerando que, com a reforma da previdência, não é possível se aposentar apenas com o tempo de contribuição, por exemplo.

Veja de que maneira você pode assegurar sua aposentadoria com um plano previdenciário:

1. Comece o quanto antes

Você ainda é muito jovem e acha que ainda não precisa se preocupar com o seu futuro? Saiba que, quanto antes começar a investir, melhor. Afinal, mesmo com uma contribuição mais baixa, você tem mais tempo para acumular os juros. Lembrando que o ideal é que se espere ao menos 20 anos para fazer o resgate. 

Para quem tem filhos, uma boa ideia é também começar esse planejamento para eles cedo.

2. Entenda as modalidades de investimento

Existe mais de uma maneira de investir na previdência privada. Para escolher entre elas, é importante entender suas características específicas de acordo com o Imposto de Renda. São eles:

  • PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre): as contribuições podem ser deduzidas na declaração com limite de até 12% da renda bruta tributável, mas o resgate total será tributado;
  • VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): indicado para quem é isento ou já deduziu os 12%. Nesse caso, a tributação do resgate ocorre sobre os rendimentos.

3. Procure uma assessoria de investimentos

Por se tratar de um investimento de longo prazo, é preciso ter muita cautela. Além de analisar itens básicos, como rentabilidade e perfil do investidor, é importante conhecer o mercado e ter contato com relatórios mais aprofundados para entender o que é, de fato, promissor.

Para isso, o ideal é contar com o apoio de uma assessoria de investimentos. Os profissionais são capacitados e trarão as melhores opções para garantir o seu futuro.

Quer saber mais sobre previdência privada? Entre em contato com a Guelt e fale com um assessor!

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Matérias relacionadas

FALE COM UM ASSESSOR

Cadastre-se e comece agora a construção do seu futuro